Segunda, 01 de Junho de 2020 01:50
83 9-9601-8376
Brasil ARTIGO

A pandemia e o oportunismo de revanche

A pandemia e o oportunismo de revanche - Por Geraldo Jr

14/05/2020 10h56 Atualizada há 3 semanas
Por: Geraldo Batista Jr
(Foto: Reprodução).
(Foto: Reprodução).

Estamos vivendo restrições compulsórias à nossa liberdade física, que se impõe por força de medidas cautelares em defesa da saúde pública. São restrições que causam reflexos na seara econômica e na esfera psíquica dos cidadãos. Os governantes, diante da ameaça de contaminação em massa pelo Corona vírus, impuseram fechamento de comércio, serviços, e a vigilância sobre o trânsito de cidadãos. Em alguns casos, muitas medidas comprometeram a própria estrutura federativa do poder (municípios e estados “fechando” limites e divisas). Apesar de ter sido promulgada lei e decreto regulamentando as medidas a serem tomadas na situação excepcional, os abusos de poder ser tornaram evidentes.

Não vamos aqui expor a eficácia da chamada “quarentena” horizontal, e como essas medidas foram tomadas com ou sem embasamento, ou inexistência de fundamento científico para que essas restrições ocorressem. O que chama atenção é o número de cidadãos que aderem e assentem com a própria restrição à sua liberdade. Aplaudem, acriticamente, as medidas restritivas de modo a estabelecerem parceria com pessoas e órgãos públicos que lhes causam prejuízo cotidianamente pela péssima gestão pública que exercem, especialmente em face da saúde pública. Essas pessoas esquecem que muitos dos políticos que agora defendem a “quarentena” são os mesmos ineficientes gestores públicos que não disponibilizam, “normalmente”, serviço público de saúde de qualidade para a população.

Entenda-se! Aqui não estou desconsiderando a tendência à autopreservação que cada um tem da própria existência. É legítima e compreensível a defesa que cada um faz de si próprio, mediante um temor natural das doenças e da própria morte. Aqui, o que estamos enfocando é a maneira como muitas pessoas estão defendendo as medidas coativas de restrição à liberdade impostas por gestores públicos.

O que pode estar por trás dessa adesão de boa parte do povo talvez não seja o esquecimento, a remissão dos erros dos gestores públicos, ou quem sabe, certo cinismo disfarçado de defesa do bem-estar coletivo. A tendência é que cada um pense em si próprio, mesmo que use o discurso supostamente solidário. A hipocrisia nas atuais circunstâncias é revelada num discurso revestido de solidariedade que, no dia a dia, em condições normais sem ameaça de pandemia, não existe. Não é perceptível essa benevolência, essa preocupação com a saúde pública “para o bem-estar geral da população”.

Então, o que pode estimular, entre outras coisas, esse comportamento de adesão à quarentena imposta pelos gestores públicos pode ser o oportunismo de revanche. É uma prática visível num momento excepcional em que cidadãos, repito, nas condições normais, não ousariam exercer. Ou seja, muitos deixam aflorar, põem para fora, sua tendência ao autoritarismo e ao denuncismo. Tudo pode ser inerente a esse oportunismo: a rejeição ao governo federal, resistência ao mercado, ódios aos empresários, a vontade de indiciar pessoas que o sujeito antipatiza. Afloram, enfim, os ressentimentos e rancores contra uma realidade que incomoda, como se medidas excepcionais temporárias fosse promover uma justiça geral, a partir do desejo individual. Uma utopia. Pois bem. Por tudo que foi exposto sobre o oportunismo da revanche, imaginem vocês se vivêssemos num regime autoritário?

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Geraldo Batista Jr
Sobre o Geraldo Batista Jr
Bacharel e mestre em Direito - Professor Universitário, Radialista - DRT 880/95, atuou por várias emissoras de Sousa e região. Por meio deste espaço, comentará os mais diversos assuntos palpitantes do nosso cotidiano.
Sousa - PB
Atualizado às 01h43 - Fonte: Climatempo
23°
Poucas nuvens

Mín. 22° Máx. 32°

23° Sensação
7.1 km/h Vento
91% Umidade do ar
90% (5mm) Chance de chuva
Amanhã (02/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 33°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Quarta (03/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 33°

Sol e Chuva
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias